Mostrando postagens com marcador Testemunhos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Testemunhos. Mostrar todas as postagens
Daniel Mastral- Testemunhos Evangélicos

Daniel Mastral- Testemunhos Evangélicos

 Daniel Mastral- Testemunhos Evangélicos

Perguntas para Daniel Mastral pelo reporter João Neto

1. Em uma entrevista dada à MTV - Revista On-line, você falou sobre diversas formas nas quais as mensagens subliminares podem estar impressas. Para começar, na questão musical, é necessário que palavras sejam proferidas na canção ou simplesmente uma montagem de acordes já suficiente para influenciar negativamente o ouvinte?

R. A mensagem subliminar, ou seja abaixo do limiar de consciência é resultante de um todo. Quanto mais elementos agregados, melhor será o resultado. Há acordes que promovem euforia, depressão, sensualidade, etc. Ou sejam alteram comportamentos. Podem, inclusive, e médio prazo, alterar modelos de pensamentos, fabricando novos valores, conceitos. Distorcidos, evidentemente.
Mas, quero destacar que há coisas piores! Realizadas por falsos profetas. Mensagens emocionais, respaldadas na neurolingüística não podem causar grandes estragos? Não escravizam o povo? Quando alguém diz que você só será abençoado se der tanto para Deus, ou levar o tal objeto ungido para casa, ou dizer que só em tal lugar você encontrará a formula mágica da libertação, da cura. Isso não é também demoníaco? Pois Jesus nos deu tudo pela graça. Ele não quer ritos, quer vida com Deus. Quem esta cheio do Espírito Santo, detém imunidade contra estes vírus de morte que nos assolam...
2. Não somente no Rock'n Roll - como muitos imaginam - mas também em inúmeros outros estilos encontra-se indícios de mensagens subliminares (quando roda-se o disco ao contrário, etc) e isso exige atenção redobrada dos consumidores de CD's e DVD's musicais. Há outras formas de reconhecer uma mensagem subliminar em um disco ou música?

R. Muitas mensagens estão bem escondidas. Outras nem tanto, estão explícitas na letra. Não incentivaria uma caça as bruxas, para saber qual tem e qual não tem. Isso seria perda de tempo. Ficaríamos horas tocando músicas ao contrário, tentando achar pelo em ovo. Iríamos achar fatos e boatos. Quem tem o Espírito Santo, tem também o discernimento. O Pai falará ao filho que tal coisa está entristecendo ao Espírito, pois estará gerando comportamentos fora dos preceitos de Cristo. Demos ser mais dependentes de Deus do que das especulações. O foco deve ser, sempre, buscar em primeiro lugar o Reino de Deus!
3. Além da questão musical, você cita outros casos que são más influências para jovens e crianças. Heróis como o Batman, o Super-Homem, Thor, entre outros flertam com mulheres, mas não se casam com nenhuma delas. Estes distúrbios de conduta também pode ser considerado um tipo de mensagem subliminar?
R. São, som dúvida. O que fazer? Meu filho, por exemplo, acaba por ver desenhos na escola. Mas o que temos ensinado a ele, em casa, estribado em oração familiar, aconselhando em amor, demonstrando vida com Deus. Tem feito ele mesmo separar o que é bom e o que não é bom. Ele não se interessa por jogos ou desenhos violentos, com mortes, sangue, coisas assim. Não precisamos fazer longos discursos a ele sobre isso. Apenas conversamos, explicamos, oramos, e dizemos que Deus não fez estas coisas, que isso é fora dos planos do Senhor. Deus é amor! Onde não há amor...Deus não está.

4. Tatuagens também são formas nas quais mensagens subliminares podem ser transmitidas. Figuras como pentagramas invertidos ou o "olho que tudo vê", a cruz de cabeça para baixo, o Feng Shui, entre outras são freqüentemente gravadas nas peles dos jovens. Porém nesta entrevista concedida, você falou que muitas vezes, os jovens fazem isso só por "status" e não por um real pacto satânico, ou seja, atualmente um jovem bruxo tem mais status que um jovem cristão. Até onde a igreja tem responsabilidade nisso, ou os pais seriam os responsáveis por tal situação?

R. Não há como eximir a responsabilidade da Igreja. Esta deve ensinar os valore de Cristo, e viver este amor. O que ocorre é que infelizmente há muitos ministérios corrompidos com o pecado. Se alguém se alimenta de uma fonte contaminada, fica contaminado também. Há ministérios que estão mais preocupados em ganhar dinheiro que almas. Isso dispersa o rebanho, que carente, acaba caindo em outras armadilhas. Há muitos feridos em nome de Deus. Como houve nas Cuzadas, na Inquisição, há também em nosso dias. Conheço centenas de vidas que evoluíram para verdadeiros traumas com relação a Igreja. Há muita omissão, descaso, com as vidas. Claro que isso não representa o todo, mas é uma amostra podre...e sabemos: basta uma laranja podre para outras apodrecerem .O "status" é uma forma de valorização, de prestigio. Se os jovens se sentirem valorizados em nossas igrejas, e não meros fluxos de caixa, será um largo passo no processo de restauração. Li um livro há pouco, intitulado – Feridos em nome de Deus – relata casos de diversas vidas que foram abatidas em locais onde deveriam ser, acima de tudo, celeiros de amor! Hoje tomamos muita cautela em visitar somente ministérios verdadeiramente consagrados ao Pai.

5. Inúmeros desenhos animados foram apontados como disseminadores de mensagens subliminares para crianças. Como os pais podem proteger os seus filhos desse mal? E quanto aos novos desenhos que surgem? Como os pais podem descobrir se há algo de mal neles?

R. Não há impedir que seu filho tenha acesso a todas as animações com mensagens subliminares. Mas o ensinamento vai dar discernimento. Quem conhece a verdade não se engana com a mentira.

6. A Walt Disney Pictures foi acusada de transmitir mensagens subliminares em inúmeros desenhos por ela produzidos. Porém a história de Moisés foi ilustrada por tal produtora. Isso poderia ser alguma estratégia da empresa ou o desenho realmente não tem nenhum conteúdo subliminar?

R. Tudo esta no controle de Deus. Se havia algo, Deus apagou. O desenho, até onde sei não possui qualquer contaminação. É muito bonito e profundo. Nos faz refletir sobre os propósitos de Deus. Evidente que se alguém quiser achar algo que não existe, vai encontrar. É como ver uma nuvem de dizer que ela se parece com um dragão...A mente humana pode produzir muito engano, em especial as mais vazias.

7. Cantores evangélicos como Régis Danese e Cid Guerreiro afirmaram terem sido prejudicados por acusações de mensagens subliminares em suas músicas. A descoberta do conteúdo subliminar também pode estar ligado à grande vontade de encontrá-lo, ou seja, a mensagem subliminar pode sofrer influências do psicológico do próprio ouvinte?

R. Como já disse acima...haverão sempre os críticos. Que acusam Jesus de ter parte com belzebu, que perseguem Paulo, que ofendem a Davi, que montam mentiras e compram testemunhas para depreciar a Estevão...Todo aquele que quiser viver piamente ( de verdade e não de fachada ) em Cristo, padecerão perseguições. Sempre houve e sempre haverá!
Leia mais em: 
Mensagens Subliminares em desenhos




Judeu Ortodoxo relata sua conversão ao evangelho-Quando li a Bíblia, meu coração se derreteu.

Judeu Ortodoxo relata sua conversão ao evangelho-Quando li a Bíblia, meu coração se derreteu.

Quando Neriyah Arabov começou a ler a Bíblia, algo inesperado aconteceu. No Livro de Isaías, capítulo 53, ele leu algo que o impactou profundamente. "Ficou claro para mim, os profetas estavam falando sobre 'Yeshua', mas eu tinha medo de admitir isso".



Neriyah Arabov dando o seu testemunho para o projeto "Chosen People". (Imagem:  Youtube)
Neriyah Arabov dando o seu testemunho para o projeto "Chosen People". (Imagem: Youtube)

Ele cresceu na antiga União Soviética, mas quando estava com 17 anos, fugiu do Uzbequistão com sua família judaica do regime comunista em ruínas na época e imigrou para Israel.
"Quando vim pela primeira vez a Israel, eu me apaixonei pelo país", diz Neriyah Arabov. "A primeira coisa que tocou meu coração foi o incrível senso de patriotismo em todas as pessoas que eu conheci", disse ele em uma entrevista para o projeto "Chosen People" ("Povo Escolhido").
No começo, ele não compreendeu a razão pela qual sua família mudou-se para Israel. Mas, à medida que o plano de Deus se desenvolveu em sua vida, ele começou a ver esta mudança como parte do propósito de Deus para "restaurar o Seu povo".
Na antiga União Soviética, ele era o único estudante judeu em sua escola no Uzbequistão. "Meu nome Neriyah era claramente destoante entre os Mashas, ​​Sashas e Pashas [nomes russos]. Eu também era diferente em muitos outros aspectos", conta ele.
"Minha pele era mais escura do que a de meus colegas de classe, e eu não tinha permissão para comer fora da minha casa, porque nossa família mantinha a cultura da alimentação kosher".
Neriyah conta que ele se alegrou com uma coisa depois da sua chegada a Israel: ele nunca mais seria chamado de "judeu sujo" por seus compatriotas. "Eu não seria mais perseguido por causa da minha raça e das minhas crenças".
Quando ele entrou para as Forças de Defesa de Israel, sua ligação com o povo de judeu se aprofundou. Depois que ele terminou seu serviço militar e encontrou trabalho no município 'Tel Aviv' (capital de Israel) encontrou-se com um homem russo que compartilhou com ele a notícia 'surpreendente' de que Jesus é o Messias de Israel.
"Até aquele ponto da minha vida, eu me considerava um judeu ortodoxo", observa ele. "Mas eu estava curioso que ele parecia saber mais que eu sobre a Bíblia. Eu era religioso. Gostaria de ir para sinagoga. Eu usava um quipá, sabia todas as orações [judaicas], no entanto, em meu coração, eu ainda não acreditava que Deus realmente existia".
"Em nossas conversas, no entanto, eu percebi que eu realmente não conhecia a Bíblia. Eu comecei a ler mais, para provar para o meu novo amigo que ele estava enganado a respeito de Jesus".
Mas quando Neriyah começou a ler a Bíblia, algo inesperado aconteceu. No Livro de Isaías, capítulo 53, ele leu algo que o impactou profundamente. "Ficou claro para mim, os profetas estavam falando sobre 'Yeshua', mas eu tinha medo de admitir isso."
Neriyah pensou que se ele seguisse Jesus, seria rejeitado por seus amigos judeus, da mesma forma que foi rejeitado na escola onde eu cresceu, no Uzbequistão.
Mas quanto mais ele lia a Palavra de Deus, mais a sua resistência ao evangelho diminuía. "Quando li a Bíblia, meu coração se derreteu. Eu percebi que era um pecador, indigno da graça e da bondade de Deus, e que era eu quem estava enganado, não meu amigo".
Um dia, enquanto lia a Bíblia, Neriyah pediu a Deus para lhe mostrar a verdade sobre um assunto pessoal, que ele ainda não havia compartilhado com ninguém.
Ele ficou chocado quando Deus respondeu sua oração. Ainda resistente, ele pensou que que isto poderia ser uma coincidência.
Então Deus respondeu a uma segunda oração e lhe revelou a verdade de novo sobre o assunto!
"Eu caí de joelhos e orei diretamente a Deus pela primeira vez na minha vida. Eu disse: 'Deus, perdoe-me por minha incredulidade. Eu quero ser teu. Você é o meu Deus".
Naquele momento, ele se entregou a Yeshua / Jesus como seu Senhor e Salvador e nasceu de novo.
Ele ainda nutria alguma apreensão sobre seguir a Jesus e se isso lhe traria sofrimento com uma discriminação semelhante ao que ele experimentou na União Soviética. Mas depois que ele orou a Deus, confessando esse temor, o medo desapareceu.
Pouco tempo depois, ele se encontrou com um rabino tradicional e compartilhou seu testemunho. O rabino ouviu atentamente enquanto Neriyah compartilhada a partir de Isaías 53 e Daniel 9.
"O rabino não discutiu comigo. Ele só me perguntou quem eu era, onde eu morava, e que eram os meus parentes". Quando Neriyah partiu, o rabino chamou sua família para alertá-los sobre as 'novas crenças' de Neriyah.
Logo ele enfrentou o repúdio de seus tios e tias. "Como você pode fazer uma coisa dessas?", Perguntaram. "Por que você acredita em Yeshua? A sinagoga não é boa o suficiente para você? O que você está procurando com os cristãos? Você deve antes de tudo aprender sobre sua própria fé. Por que você está entrando em algo que não é o judaísmo?".
"Todo mundo que me via, falava: Lá vai aquele idiota que acredita em Yeshua'. Comecei a orar a Deus pela libertação da minha casa e da minha família daquela turbulência".
Pouco depois, o Dr. Mitch Glazer do Ministério "Chosen People" visitou Neriyah em Israel. Ele pediu ao recém-convertido que se mudasse para os EUA e participasse do programa de uma faculdade bíblica e Neriyah concordou.
"Os Estados Unidos tornaram-se um local confortável para mim. Eu queria ficar longe dos conflitos que a vida em Israel pode trazer", confessou.
Crise de saúde
Em 2001 Neriyah estava terminando seus estudos, mas precisava conseguir uma série de documentos e se submeter a exames finais. "Nesta pressão eu comecei a sentir dores de cabeça muito graves e eu tomava muitos comprimidos analgésicos. Acabei sendo internado em um hospital. O médico me disse que meus rins estavam em apuros".
Quando Neriyah tinha 14 anos, seu irmão de 26 anos de idade morreu de insuficiência renal, por isso, parecia haver uma predisposição para a doença renal em sua família.
Os médicos informaram-lhe que dentro de dois a cinco anos ele teria que se submeter a sessões de hemodiálise ou precisaria de um transplante de rim.
"Inicialmente eu não aceitei isso", confessou. Neriyah voltou a Israel para receber atendimento médico. Então conheceu uma mulher maravilhosa e eles se casaram em 2002, mas em 2004 precisou se submeter a sessões de hemodiálise.


Ele também se tornou um ancião em uma congregação messiânica. "A congregação cresceu enormemente, e eu orava continuamente pela cura do meu corpo".
Deus ouviu sua oração e orquestrou o tipo de resposta somente o Senhor poderia trazer.
Resposta milagrosa de Deus
Uma mulher chamada Cynthia Barnett - até então desconhecida para Neriyah - estava orando em Monroe (Michigan / EUA), quando Jesus teria lhe feito um pedido um tanto 'incomum'.
Eu escolhi você para doar parte do seu corpo para alguém que você não conhece. Vá para Israel e doe um de seus rins para Neriyah.
"Como posso fazer isso?", questionou a mulher. "Eu tenho 50 anos de idade. Tenho seis filhos".
"Eu não estou forçando você. Eu estou sugerindo a você", disse Jesus, segundo ela relata.
Em obediência ao Senhor, Barnett viajou para Israel, procurou por Neriyah e descobriu que seu rim era perfeito para o transplante... seria muito bem aceito pelo organismo dele. A operação foi um sucesso.
Um ano depois, em julho de 2005, a esposa de Neriyah, Anna deu à luz uma linda menina. Eles deram ao bebê, o nome de Cynthia - em homenagem à mulher que doou seu rim a Neriyah.
"Toda vez que eu apresentamos os meus filhos nos perguntam: 'Baruch e Sarah são nomes bíblicos, mas de onde surgiu a ideia do nome de Cynthia?'. Então eu sempre tenho a oportunidade de compartilhar sobre o milagre que Deus fez na minha vida", contou ele.
Infelizmente, o rim doado por Barnett parou de funcionar em 2011. "Eu não lamento por isso", diz Neriyah. "Deus realizou muitas coisas nesses seis anos maravilhosos".
Em 2012, Neriyah e sua esposa começaram uma nova congregação em sua vizinhança, em Israel. "Estamos servindo a nossa comunidade de muitas maneiras novas e maravilhosas. Nós distribuimos alimentos para famílias carentes. Fazemos passeios gratuitos aos locais sagrados, a fim de pregar o Evangelho. Estamos cuidando de sobreviventes do Holocausto em nossa cidade. Vemos os frutos do ministério de Deus constantemente. Não muito tempo atrás, nós batizamos sete pessoas e atualmente estou discipulando outras quatro".
Neriyah está de volta às sessões de hemodiálise, três vezes por semana. "O fato de que Deus me usa, apesar da minha debilidade física é um tremendo milagre e outro milagre está a caminho!".
"No ano passado, um pastor coreano de Nova Jersey chegou a Israel com o desejo de doar seu rim. Eu não estava pronto para submeter-me à cirurgia de transplante na época, mas hoje, se Deus quiser, eu e ele seremos compatíveis. Seu nome é Leo Park. Por favor, orem para que a vontade de Deus na minha vida e na dele seja feita. Em julho vamos saber definitivamente se o transplante pode ser feito. Obrigado pelas suas orações!", finalizou.

FONTE: GUIAME
Ex Satanista Daniel Mastral fala a MTV-Como reconhecer um satanista

Ex Satanista Daniel Mastral fala a MTV-Como reconhecer um satanista



1) Sabe-se que a música, mais especificamente o rock, tem forte relação com práticas mágicas, esotéricas e magia negra. Muito disso é lenda, mas pode também não ser – e pelo visto, nunca saberemos. Em sua vida na escuridão, nos tempos de Irmandade, soube de algum destes “causos” famosos do rock? Teve confirmada algumas destas “lendas” como, por exemplo, a de que os Rolling Stones fizeram um pacto com o diabo? Ou que ele, o demônio e suas forças, atuaram na criação deste tipo de música e na disseminação dela pelo mundo influenciando Os Beatles e todo uma cultura que nascia naquela época, como acreditam certas correntes evangélicas?

R: De fato há, sim, muitas lendas urbanas criadas pelo imaginário popular. É o caso, por exemplo, de Paganini, um compositor que tem entre suas criações o “trillo del diablo”. Só é possível tocar esta música com auxilio de computadores, pois os dedos de nossas mãos não possuem tal habilidade (é tocada no violino). Diz a lenda que ele tinha um pacto com o diabo, e que o demônio vinha ao pé de sua cama todas as noites para passar as notas. Ele também tinha um aspecto sombrio, pálido e com olheiras profundas. Porém, era tão somente uma doença que ele possuía - Síndrome de Marfan - , e tal doença também dava a ele, paradoxalmente, uma habilidade extraordinária nas mãos, pois conseguia ter uma mobilidade maior, uma vez que suas articulações eram expandidas. Ninguém, exceto ele, podia tocar aquela melodia. Lendas como de Fausto, dentre outras permeiam nossas culturas. Porém, é fato que pactos existem. Não há como argumentar, por exemplo, das centenas de mensagens subliminares encontradas em diversas músicas. Creio que muita gente já ouviu falar disso. Músicas que tocadas de trás para frente possuem frases com conotação voltada para cultuar o diabo. Já me disseram que isso é mera coincidência, mas até o dia de hoje nunca ninguém encontrou mensagens subliminares com exaltação a Deus. Sempre vem “O diabo é bom”, “Diabo pra cá, diabo pra lá”. Mas não há menção alguma de Deus ou de algo de bom. Sempre que isso é descoberto há o tal do capeta no meio da frase. Isso não é mero acaso. Há influências reais operando em vidas, influenciando comportamentos. Nem sempre o cantor é o objeto principal de uso destas forças. Devemos lembrar que muitas vezes o mal age por trás, na sombra, no oculto. As músicas podem nos fazer sentir muitas coisas: despertam sensualidade, erotismo, melancolia, tristeza, alegria, euforia, etc. Li um livro – O Poder Oculto da Música, de David Tame – editora Cultrix. Este livro deixa muito claro o forte poder de influência comportamental nas melodias. Como nosso adversário é um ser muito sábio, ele sabe que manipulando acordes pode criar campos em nosso cérebro favoráveis a implante de sementes destrutivas. E não há como negar esta influência em nossos dias. O comportamento de nossos jovens não são mais os mesmos de 50 anos atrás. Filhos matam pais, pais matam filhos...crianças tornam-se assassinas, adolescentes matam colegas e se suicidam em seguida. Drogas, destruição, perda de valores morais, etc. Muito disso, creio é influência direta de mecanismos de contaminação em massa. A música é um excelente condutor para este fim.

2) Simplificando a pergunta anterior, há, na sua opinião, e baseado em suas experiências “do outro lado”, verdadeira influência do mal nas expressões culturais como música, cinema, histórias em quadrinhos, literatura, videogames?

R: Sem dúvida que há! É fato! Há na internet dezenas de sites que apontam onde estão as mensagens subliminares a nossa volta. Posso usar aqui o exemplo clássico. Sabemos que a instituição família é base da sociedade e principal célula da Igreja de Cristo. Lembro-me que quando era criança eu era aficionado pelos gibis do Tio Patinhas, Mickey, etc. O Mickey tem um relacionamento com o Minie (já a “enrola” há mais de 50 anos). O mesmo ocorre com o Pato Donald e sua eterna namorada, Margarida. Eles não falam em casamento, noivado, nem sequer cogitam colocar uma aliança de prata, símbolo de compromisso. Eles apenas “ficam”. Cada um em sua casa. Os sobrinhos do Donald, moram com ele. Ninguém sabe quem são os pais daqueles patinhos, e seu tio fica com a Margarida. Os super-heróis são solteiros. Batmam, Supermam, Thor, Homem Aranha, etc. Flertam com mulheres, mas não casam, não constituem família. É sutil...mas vemos os resultados de algo lançado no inconsciente coletivo: hoje os nossos jovens...ficam! Pouco se fala sobre casamento, compromisso, noivado, família. Cito isso apenas para ilustrar. Mas é apenas a ponta do iceberg. Falamos isso de forma enfática e clara em nossos seminários, mostramos filmes, imagens, e dados científicos de como isso pode afetar nosso cérebro. Para saber mais sugiro que o leitor desta entrevista visite nosso site e venha participar de uma de nossas palestras –http://www.guerreirosdaluz.r8.org/

3) Semanas atrás, por exemplo, o guitarrista Carlos Santana tocou em São Paulo. Sabe-se que nos anos 70 ele lançou um disco chamado Abraxas, mesmo nome do seu antigo “guia”. É possível tecer relações entre fatos como este, ou seja, buscar na cultura pop indícios verdadeiros da presença satânica? Você poderia nos dar outros exemplos? Um deles seria talvez a presença massificante de pentagramas invertidos em diversos discos de rock, marcas de roupas jovens, tatuagens, etc?

R: Usar um pentagrama invertido ou citar o nome de uma entidade demoníaca não quer dizer necessariamente que quem o usa tem pacto com o diabo. Muitos o fazem porque isso em nossos dias parece dar um certo “status”, “glamour”. Falar hoje em dia que é bruxo ou bruxa é símbolo de “cultura”! Há uma inversão de valores, propagados por forcas do mal. Porque hoje em dia não dá o mesmo prestigio dizer que é cristão, que ama Jesus, que buscamos valores expressos na Bíblia. A Bíblia é um Best Seller, o livro mais vendido em todo o mundo! Mas talvez seja o menos praticado. Tem muita gente sobre influência satânica, mesmo sem ser satanista! Jesus expulsou muitos demônios de vidas que estavam aprisionadas em pecados, valores e condutas que deram oportunidade dos demônios de se alojarem naquelas vidas e causaram o mal a elas e aos que estavam a sua volta. Pregamos o amor, a paz, e a unidade. Não de forma utópica, mas real, pois Jesus é real! A história esta pontuada por pensadores, por mártires, por heróis, mas somente um homem em apenas três anos de vida pública pregou uma mensagem que ecoa até nossos dias. Somente um homem ressuscitou dentre os mortos, somente um homem fez tantos milagres em tão pouco tempo, e ainda os faz, somente um homem rasgou o espaço-tempo. E hoje contamos a história como antes de Cristo e depois de Cristo. Mudou o calendário, mudou vidas, mudou condutas, pregou o amor, viveu o amor, e morreu pelo amor! Este Jesus é real! Não é um símbolo, uma marca, mas um Ser real que mudou minha vida, mudou a vida de muita gente, e pode mudar qualquer vida que queira ser transformada. Jesus é meu melhor amigo! Não sinto nenhuma falta do Abraxas!

4) Pergunto isso porque em sua obra você fala, por exemplo, que Hitler não morreu na data tida como oficial, que Merlin não era aquele velhinho bonzinho dos desenhos da Disney. Ou seja, há então informações e mistérios sobre nossa história recente que somente os iniciados no satanismo conhecem, como alguns casos muito antigos citados em Rastros do Oculto?

R: Sim, existe. Por isso estas seitas são chamadas de “secretas”. Há muita coisa por “baixo do pano”. Nos seminários deixamos isso muito claro, não somente pelo argumento teológico, mas também com dados científicos e arqueológicos. Especialmente no seminário nível dois, aprofundamos nos mistérios de nosso tempo. Aqui, na limitação destas linhas não é possível abortar o tema com a profundidade que ele merece.

5) Já que falamos de tatuagem, as modificações corporais tão inerentes à existência humana desde os primórdios são muito comuns entre os jovens das metrópoles de hoje. Isso é “coisa do demo”, na sua opinião?

R: Não vejo de forma unilateral este fato. Há claro, inspiração satânica quando encontramos temas demoníacos, depressivos, morte, dragões, serpentes, caveiras, em tatuagens. Se somos templo do Espírito Santo, não convém profanar este templo com imagens que enaltecem a violência, o mal. Contudo há também tipos de tatuagens que são expressões de amor, homenagens, etc. Vi nestes dias um documentário muito legal. Mostrou o caso de um pai que lutou anos para ter seu filho. Fez tratamentos de fertilidade, etc. Quando o menino nasceu, veio com um problema. Ele, que é cristão, orou a Deus pediu pela cura de seu filho. O menino foi curado, e não teve nenhuma seqüela. Ele, então fez uma tatuagem com o rosto de seu filho sendo segurado por duas mãos e escreveu abaixo “Nas mãos de Deus”. Foi uma homenagem a Deus e a seu filho. Há homenagens entre casais casados, onde tatuam o nome do cônjuge, ou a letra inicial do nome. Há quem tatue nomes de Deus em Hebraico, ou flores, ou outras imagens que são edificantes. O que faz o caráter não são as tatuagens os piercings. Mas o coração! Eu posso testemunhar, por exemplo, que viajando por este Brasil como missionário, nunca fomos lesados por comunidades que usam tatuagens ou piercings. Por outro lado, homens com títulos imponentes, usando terno e gravata já nos enganaram, nos roubaram. Veja o próprio cenário político de nosso país. Os grandes vilões, os corruptos, os mentirosos, os ladrões, não usam tatuagens, mas terno e gravata. Não é a roupa, mas a atitude. Não é o titulo, mas o coração que agrada a Deus. Deus procura homens e mulheres segundo o Seu coração!

6) O mundo hoje é, em grande parte de sua extensão, um lugar horrível, de morte, sofrimento, poderosos esmagando miseráveis, desastres naturais, etc. Quanto disto é culpa do inferno, quanto é culpa de nós mesmos, homens?

R: Causa e efeito. Ação e reação. Você agride a natureza, ela revida. Há também a deformidade do caráter humano. Seria simplista dizer que tudo é culpa do diabo. Há problemas de caráter, de honra, de dignidade que nos afetam. O ser humano, ao se afastar de Deus perdeu muitas coisas. Perdemos nossa inteligência. Adão usava 100% der seu cérebro, pois conseguiu catalogar todos os nomes de animais, anfíbios, répteis, plantas, peixes em sua mente. Hoje, estas informações somadas só poderiam ser armazenadas em supercomputadores. É notório que hoje usamos menos de 10% de nosso cérebro. Uma planta longe da luz perde sua beleza, perde seu perfume, seca e morre. Nos, humanos afastados de Deus, perdemos nossa beleza de alma, nosso perfume de amor, secamos, morremos...O homem quando come do “fruto proibido”, absorve seus “nutrientes”, e agora o ser humano, absorveu o mal, foi contaminado pela essência do mal. Hoje o homem é capaz de fazer exatamente o que a Bíblia diz que o diabo é capaz de fazer: matar, roubar e destruir. O único que pode reverter este quadro de destruição, é Jesus. Só Jesus pode resgatar o homem, tira-lo das trevas. Vemos vidas correndo atrás de vida! Corremos atrás do vento. Tentamos suprir a ausência, o vazio do coração com coisas temporais. Isso não trás felicidade. Ícones da música, como Elvis, ou do cinema como Marilyn Monroe, tiveram morte precoce, e não foram felizes, embora tivessem “tudo”! Tinham dinheiro, poder, fama, beleza, mas não tinham paz. Paz não se compra. É graça de Deus! Só Jesus pode nos dar esta paz, que transcende nosso entendimento. Não troco esta paz, por nada deste mundo!

7) Muitos não acreditam na existência do mal personificado em um ser, um anjo caído. Por que? Seria esta uma estratégia dele?

R: Sim, a principal estratégia do diabo é tentar nos convencer de que ele não existe. Isso é histórico. Contamos esta história, a história do diabo, em nosso livro – Rastros do Oculto, bem como no Seminário nível dois.

8) As desgraças do nosso planeta, com fome, guerra e todo o tipo de malefício que o homem exerce sobre o próprio homem não deveriam ser motivos para acreditar em uma inteligência agindo contra a humanidade?

R. Como já disse acima. Causa e efeito. Causa: afastamento do homem de Deus. Efeito: ruína!

9) Nos dias de hoje, o diabo parece ter mais IBOPE que Deus em nosso mundo – me parece que muitos buscam suas obras atrás de conhecimento sobre o mal e não só para conhecer sua experiência de conversão. Você concorda com esta afirmação de que Deus perde no IBOPE? Por que isso acontece, na sua opinião?

R: Nosso livro “Filho do Fogo” despertou muitas vidas para a realidade do que chamamos de “Batalha Espiritual”, e libertou muitas vidas do inferno. Muitos nos escrevem dizendo que compraram o livro para aprofundar seus conhecimentos no oculto, e acabaram se convertendo a Jesus. O propósito do livro é este – levar o leitor a uma viagem junto com o personagem pelo mundo das sombras, ter a ilusão de que tem o controle das coisas, de que tem algum poder, que é especial...E no final da leitura conhece a verdade, que liberta, conhece a Jesus Cristo. Muitos começam a ler de curiosidade e terminam com choro de arrependimento, e abrem seus corações para Jesus. O ser humano em geral esta em busca de algo que o supra, que o preencha! Muitos tentam atalhos que levam nada a lugar algum.A busca pelo caminho escuro, dá a sensação de “aventura”. Só trás uma “felicidade” temporal, passageira. Não é perene. Só há um caminho, uma verdade e uma vida. Sem Jesus nada somos. Deus não esta perdendo IBOPE, mas ganhando vidas a cada dia. Não raro ligo a TV as 06:00hs da manhã e vejo templos, igrejas lotadas. São cultos, missas, onde as pessoas estão lá, buscando um encontro com Deus. É nosso instinto basal. Retornar aos braços do Pai, do Criador. E vejo que agora, mais do que nunca há esta busca por Deus.

10) O mal exerce grande atração sobre o ser humano, desde os primórdios. Em nossa cultura pop, por exemplo, muitas vezes o vilão é mais cultuado que o mocinho. Você concorda com esta afirmação? Por que isso acontece, na sua opinião?

R: Há um forte incentivo da mídia sobre este aspecto. Tome como exemplo as novelas; o “herói” é sempre aquele que adultera, que engana, mente, trapaceia. Nos filmes vemos “assaltos espetaculares”,onde o bandido não é preso. Com esta inversão de polaridade, de valores, temos como efeito a cada dia mais jovens sendo aliciados pelo tráfico de drogas, prostituição, crime, etc. Há, ao meu ver, uma apologia velada que incentiva a prática criminosa que vai deste leis brandas a corrupção. O diabo não precisa se esforçar muito nestes casos, pois a natureza humana foi contaminada, e acabamos colhendo os efeitos disso no cotidiano. A Igreja tem um papel importante no seio da sociedade, pois oferece ao seu rebanho algo que o estado não pode dar. Ensino da Palavra de Deus. Há problemas em todas as camadas da sociedade, mas podemos notar de forma clara que aquele indivíduo que teve um encontro genuíno com Jesus, que freqüenta uma igreja, que leva a sério sua vida com Deus, tem menos chances de ser contaminado com este bombardeio de informações disformes vindas dos meios de comunicação de massa. Conseqüentemente possui maior chance de ser feliz, de ter equilíbrio em sua vida, de ter paz. Quando conhecemos a verdade esta verdade nos liberta de sofismas, dogmas que nos cercam e podam nosso crescimento espiritual e mental. E isso não é algo etéreo, vago, mas real, respaldado por estatísticas. O indivíduo que tem fé, que crê em Deus e vive Seus princípios é mais feliz, independente de sua classe social, intelectual ou étnica. Aqui vai uma dica para os que se encontram sem esperança na vida: volte aos braços do Pai. Jesus sempre te receberá de braços abertos. Há festa nos céus quando mais um nome é escrito no livro da vida. Faça parte desta família, a família de Jesus. E quando olhar para o alto, saberá que ali não está tão somente um Deus, mas um Pai de amor, que deu a vida por sua vida, que te chama de amigo, e que nunca vai te abandonar!

11) Para situar o nosso leitor, o que é Batalha Espiritual? Há anjos e demônios lutando por nós, seres humanos, neste exato momento? Ou a batalha se trava em outros níveis, dentro de nós, por exemplo?

R: Há várias esferas de Batalha Espiritual. Há o nível de Batalha que é travado dentro de cada um de nós, sim. Na mortificação da carne, de dizer não ao pecado, de recusar o mal, de buscar uma vida de santidade, de permitir ser forjado pelas Mãos de Deus para ser vaso de honra. Neste nível requer domínio próprio, que é fruto do Espírito Santo, em nosso lar, com nossas famílias, em nosso trabalho, em cada lugar que estiver um filho de Deus, estará com ele a luz de Cristo. Semeará a paz, estenderá as mãos, dará o ombro, consolará os que choram, trará palavras animo aos abatidos, libertará os cativos. Este é papel de todo cristão. No entanto, existem obstáculos para realizarmos estas obras. Entendemos que existem forças do mal atuando a nossa volta, pois a Bíblia diz que elas existem, Jesus nos ensinou que estas forças existem. E, se somos cristãos, e cremos na Bíblia e em Jesus, e não comemoramos a Páscoa, os Natais apenas por protocolo social e comercial. Vamos além destes conceitos. Buscamos uma vida de excelência com Deus. Estas entidades lutam para nos impedir de chegamos à vitória, nos atacam em diversas áreas: saúde, emocional financeira. Para vencer esta resistência, há luta, combate. Uma luta que não é travada na esfera terrena, mas no mundo espiritual a nossa volta. Vencer a Batalha no Reino do espírito significa colher seus frutos, os despojos desta guerra, no mundo terreno, material. Não quer dizer que você será rico. A Bíblia não diz isso. A Palavra de Deus nos diz que o Senhor é nosso pastor e nada nos faltará. Esta é a promessa! Nada vai te faltar. Não faltará paciência no trânsito, sabedoria em educar seus filhos, pão sobre a mesa, onde repousar sua cabeça, não te faltará paz! Isso é a Batalha Espiritual. Conquistar promessas de Deus em nossas vidas, vencendo a resistência das trevas e sendo vitoriosos em Cristo.

12) Se Deus criou o demônio e nos criou à sua semelhança para servirmos a Ele, por que deixa então o diabo pintar e bordar em nosso mundo, agir a seu bel-prazer? Na sua opinião, por que Ele simplesmente não dá um assopro e o extermina? É uma questão de “seleção”?

R: Deus já determinou o tempo de fim para satanás e seus demônios. O livro de Apocalipse conta esta história. É o epílogo. Porém, agora eles tem liberdade de tocar em nossas vidas mediante um “ponto de contato”, uma legalidade. Eles precisam disso para nos tocar. Quem cede esta legalidade é o homem, usando seu livre arbítrio. Se você semeia o mal, colhe o mal. Já viu aquele tipo de pessoa que só reclama de tudo? Estão sempre doentes, nada dá certo. O trabalho não rende, a família se degrada, os amigos se afastam. Tudo o que semeamos colhemos. Deus nos deu a liberdade de escolha. Ele não criou “robôs”. Criou pessoas com vontade própria e com poder de decisão em suas vidas. Usar nossa sabedoria para semear o bem, certamente colheremos o bem em nossas vidas. Deus é amor, quem vive no amor, inunda os que estão a sua volta com este amor. Não há forca mais poderosa do que esta!

13) O que somos nós, seres humanos, nesta disputa entre Bem e Mal? Peças de um jogo travado entre um filho rebelde e seu pai liberal?

R: Novamente o conceito de causa e efeito. Deus é amor, e nos ama profundamente. Mas nos deu poder de decisão. Se um soldado usa de seu livre arbítrio para abandonar seu posto, ele será um desertor e colherá as conseqüências disso em sua vida. Não terá mais a moradia no exercito, a comida, as roupas. Se um funcionário de uma empresa pede demissão. Ele perde seu salário, sua provisão, seu sustento, seu plano de saúde. Se você dirigir em uma estrada cuja velocidade indicada é de 80km e você estiver a 140km, corre o risco de acidente, de fraturas, de dor, de sofrimento. Usamos nosso poder de decisão o dia todo. As decisões acertadas resultam em conseqüências positivas. As estatísticas mostram isso. Mais de 90% dos acidentes em estradas ocorrem por desrespeito às regras de trânsito, por imprudência. Da mesma forma se você se posicionar ao lado de Deus colherá o que a Bíblia chama de frutos da obediência. São as conseqüências positivas de nossa decisão. Se, por outro lado nos posicionarmos do lado oposto, vamos contra as leis de Deus, e vamos correr o risco de sofrimento e dor. A decisão é individual.

14) O Mal chama nossa atenção de todas as maneiras possíveis e o Bem parece esperar que nos voltemos para ele voluntariamente. Por que essa passividade, na sua opinião?

R: Não é passividade, mas respeito a cada um de nós como indivíduos que somos. Deus não obriga ninguém a segui-lo. Certa vez Jesus disse a um jovem rico para largar tudo o que tinha e segui-lo. Ele não fez...Jesus lamenta, mas não vai atrás dele. Não saiu correndo dizendo: “Ei, espere, volte, deixe-me explicar melhor.” Já o Mal, tem interesse em destruição, por isso cria armadilhas a nossa volta. A Bíblia fala de “ciladas do adversário”. Imagine uma pescaria com anzol. Há a isca, o alimento ali “fácil” para o peixe, parece até que a comida achou o peixe de tão farta e fácil ela está. Mas ali contem uma cilada. E levará o peixe a morte. É isso que o diabo faz. Nos atrai com “iscas” de poder, dinheiro, fama, sexo, etc. Importante ressaltar que não há nada de errado em você ser abençoado com prosperidade, embora esta não seja a ênfase Bíblica, não há mal no dinheiro, o mal consiste no amor ao dinheiro. Não há mal no sexo dentro do casamento, não há mal em você ser conhecido e reconhecido pelo trabalho que realiza. O mal estará presente nestes mesmos pilares, se forem distorcidos. O mal nos alicia com um propósito de destruição. Deus esta com Sua mão estendida em nossa direção. A decisão de segurar nela é nossa!

15) Em seus livros o satanismo é mais que uma realidade, dominando setores políticos, industriais, comerciais, megacorporações da comunicação em todo o mundo. Existem provas concretas da existência de satanistas em cargos-chave no mundo? Quais?

R: Existia alguma prova concreta de que a Terra era redonda na antiguidade? Para os povos desta época, a Terra era chata, e isso era fato inquestionável! O que dizer dos tempos de Galileu? Naquele tempo imperava a teoria Geocêntrica, onde a Terra era o centro do Universo. Mas hoje sabemos que o que acreditava antes como verdade, hoje não vemos mais assim, pois temos provas concretas. Muitas vezes estas provas vêem através da observação. Como foi com o principio de Arquimedes, ou com Isac Newton. Uma simples observação, e...bum! Eureca! Se olharmos com olhos atentos o desdobramento de certas questões a nossa volta: biochip; mensagens subliminares; unificação da moeda; globalização; governo único; dentre outras questões vamos ver algo além da visão. Vamos enxergar o que nossos olhos não vêem. Mas podemos sentir...como o ar a nossa volta. Você não o vê, mas pode senti-lo. Não tenho dúvidas de que algo esta sendo montado, articulado, preparado. Para nós, crentes, isso é o preparo para a vinda do anticristo descrito em Apocalipse. Mais do que isso, é tempo da volta de Jesus. Tempo de arrependimento, de mudança, de resgatar o amor.

15) E no Brasil, a Irmandade continua poderosa? Como identificar sua atuação em nosso país?

R: Continua. Eles têm encontrado terreno fértil para lançar idéias, conceitos, linhas de conduta, evidentemente com o alvo de controlar melhor as massas a seu favor. Penetram também em igrejas, com o propósito de dividi-las, criar contendas, fofocas, intrigas, boatos. Uma vez que a igreja tem o poder de oferecer resistência espiritual as investidas desta forças. Como identificar sua atuação? Como disse acima: observe com olhos atentos.

16) Há, segundo correntes da Batalha Espiritual, figuras públicas, como apresentadoras de televisão, cantoras e outras, que têm aliança com o diabo. É isso mesmo? Você pode citar nomes?

R: existem pessoas pactuadas com o diabo em todas as camadas da sociedade. O meio artístico não está isento desta influência. Mas, evidentemente que não posso citar nomes, pois entendemos que nossa luta não é contra as pessoas, as vidas, mas contra o que está por trás delas, contra o diabo. Deus ama as vidas, e expô-las só causaria mais polêmica e confusão. Não traria nenhuma edificação em nossas vidas. Em vez de procurarmos saber se fulano ou beltrano é satanista, temos antes, que olhar nossas próprias vidas e sondar nossos corações, para saber se estamos sendo verdadeiramente carvalhos de Justiça nas mãos de Deus ou não!

17) Seu pai biológico, aquele que te introduziu no satanismo, é um conhecido político, presidente de um partido conservador ainda mais conhecido? (Recentemente, ele tem sido visto em propagandas eleitorais na TV e saltam ao olhar um pouco mais atento detalhes quase imperceptíveis como o número do partido, cenários escuros com formas estranhas, simetria perfeita do rosto). Ele é mesmo um satanista ainda hoje?

R: Sobre este assunto nos reservamos ao direito de não nos pronunciar, pois não trás crescimento algum, é mera especulação, que leva nada a lugar algum. Saber quem é meu pai biológico não muda nada, nem na minha vida, e nem na vida de ninguém. Meu Pai, hoje é Jesus, e não troco esta filiação por nada deste mundo.

18) Como reconhecer um satanista?

R: Não há “receita de bolo”. Isso é fruto do Espírito Santo, o discernimento. Deus revela aos seus profetas aquilo que lhes é importante saber. A Bíblia diz que eles estariam em nosso meio, seriam como lobos em pelo de ovelha, que fariam até mesmo sinais e prodígios para enganar. Porem, Jesus nos deu uma pista: pelos frutos conhecemos a árvore. Se alguém que diz ser servo de Deus e não tem frutos de benção em sua vida...é questionável. Pode até não ser satanista, mas certamente não é filho de Deus!

19) E o verdadeiro cristão, como reconhece-lo?

R: A marca do cristão é o amor. O coração reto, inimigo de contendas, que prega a paz, que não busca seus próprios interesses, que não é soberbo, que veste a capa da humildade, pois esta precede a honra. Ser cristão significa seguir a Cristo. Aquele que ama a Jesus, segue seus passos e obedece seus ensinamentos. Em síntese, vive o que prega!

20) Em certa parte de Filhos do Fogo você relata sua conversão e não me parece muito claro o real motivo de sua saída da Irmandade, de suas discordâncias com ela. Você começou a se desentender com aquele grupo, isso internamente, em você mesmo, por que não queria sacrificar uma criança? Em qual momento você teve certeza de que deveria voltar-se para o outro lado, o lado de Jesus Cristo?

R: Não havia discordâncias claras. Havia uma falta total de paz em meu coração. Eu passei boa parte de minha vida buscando algo que me preenchesse por dentro. Embora eu tivesse a ilusão de que tinha poder, dinheiro, que era feliz. Aquilo não era verdade. Eu sabia. Eu estava como diante de um grande banquete. O cheiro da comida era soberbo, o sabor magnífico, o visual esplendido. Podia sentir a textura da toalha de seda, da cadeira confortável de veludo vermelho, contemplar as belas tacas de cristal italiano, os talheres de ouro, ouvir aquele melodia agradável ao fundo. Tudo remetia paz, tranqüilidade, conforto, prazer. Mas era tudo ilusão! O banquete estava envenenado...com um veneno letal que me mataria aos poucos, com muita dor e sofrimento. Eu já estava sentindo os efeitos daquele veneno em minha vida. Não tinha paz, não conseguia dormir direito, tinha pesadelos constantes...Estava infeliz. Um dia conheci um homem. Ele tinha um brilho diferente no olhar, um sorriso amplo nos lábios, tinha paz em seus gestos e palavras. Ele me falou de um Deus de amor, que deu a vida de seu único filho por amor a minha vida. Contou-me a história de um grande amor. De Deus pelo homem. Fez-me ver a verdade, e esta verdade me libertou. Hoje tenho paz, sou feliz. Não troco isso por nada deste mundo. Não há tesouro que seja maior do que ser amigo de Deus, estar em Seus braços!

21) Por que as pessoas só procuram Jesus Cristo, ao menos a esmagadora maioria delas, quando têm um problema sério, uma dificuldade na vida?

R: Sempre o encontro com Deus é por dois caminhos: pelo amor ou pela dor. Infelizmente a maioria vem pela dor.

22) Você relata nos livros encontros semanais de satanistas acontecendo no coração da cidade de São Paulo, festas e celebrações ritualísticas envolvendo milhares de pessoas, sacrifícios humanos, entre outros acontecimentos, digamos, inusitados para nossa vida cotidiana. Como nós, os não-evangelizados, passamos por isso sem notar? Qual a verdadeira extensão dos poderes das trevas em nosso cotidiano?

R: Há controle sobre as informações passadas ao público em geral. Por exemplo, vi uma matéria no Jornal Nacional da Globo, apresentado pelo Willian Bonner, falando que alguns cientistas Britânicos chegaram a conclusão de que alimentos transgênicos podem causar mutações genéticas. Em nossos seminários falamos sobre isso também, apresentamos documentários inclusive sobre o tema. Mas, depois daquela matéria que aparentemente “escapou do controle” ninguém mais fala sobre esta questão. Não se fala mais sobre a morte de PC Farias, não se comenta muito sobre clonagem...mas há pesquisas a todo vapor neste sentido, sendo realizadas na sombra. Armas biológicas: só soubemos que isso existe quando há uma guerra. David Coperfield fez sumir um elefante diante de centenas de pessoas, até mesmo um avião ele fez “desaparecer”. Não é difícil criar ilusões, cortinas de fumaça, ou controlar as informações que chegam ao público. Magia e mágica caminham lado a lado.

23) Parece-me que muitos evangélicos desenvolvem verdadeira obsessão pelo diabo e sua influência, atribuindo qualquer dor de cabeça, qualquer tropeção ao demônio, quando deveriam se preocupar em seguir o caminho reto. Você concorda com esta afirmação? Por que isso acontece na sua opinião?

R: Concordo plenamente, em gênero número e grau. Muitos fazem isso para fugir de responsabilidades. É mais fácil culpar o diabo. Certa vez um senhor me disse que não conseguia juntar dinheiro, e estava sempre endividado, porque havia um demônio que o atacava sempre que ele entrava em um Shopping. O demônio o obrigava a fazer compras, e ele gastava tudo! Depois sobravam as dívidas...

24) Há muito lixo no meio cristão brasileiro, muitos líderes podres que só fazem enriquecer às custas da fé e da ingenuidade dos outros. Não seria essa uma possível visão do inferno?

R: Não. O inferno é muito pior do que isso. Mas certamente estes, se não se arrependerem, irão conhecer o inferno em pessoa. A Igreja é a representação do corpo de Cristo. Hoje, entendemos que este corpo, Igreja, está muito ferido. As feridas não são belas de se ver, cheiram mal, são feias. Nosso último livro “Voz do que Clama do Deserto – A Conquista”, falamos sobre estas feridas, falamos sobre os bastidores da Igreja, com o propósito de expor as feridas para que estas feridas sejam curadas. Este livro paradoxalmente ganhou o prêmio literário chamado Areté, que é algo como um “oscar gospel”. A própria Igreja reconheceu esta exortação como sendo uma ferramenta importante no processo de restauração. Eu, particularmente, creio que muitos picaretas irão cair, dando lugar a homens e mulheres segundo o coração de Deus. Eu creio em uma igreja renovada, restaurada, um celeiro de amor, onde o mais importante convidado será Jesus Cristo. Temos tocado esta trombeta por onde Deus tem nos levado e temos visto muitos dos milagres de Deus, curando emoções, restaurando casamentos, renovando as forças, despertando vidas para a verdade que é Jesus. Aos falsos crentes Jesus mesmo dirá a eles: “nunca te vi, não te conheço”.

25) Fala-se hoje em arrebatamento, na vinda de Cristo, no surgimento do Anti-Cristo. O quanto estamos próximos destes acontecimentos na sua opinião? Uma década? Duas? Mais, menos?

R: O dia ninguém sabe. Somente Deus. Mas podemos ver, pelos sinais, de que este tempo se aproxima.

26) Você relata em Guerreiros da Luz, durante o processo de libertação de sua esposa, Isabela, que viu, com seus olhos, Jesus Cristo, que caminhou literalmente, com seus próprios pés, ao lado Dele, que os olhos nos olhos. Sem querer desrespeitá-lo ou à sua esposa, ou o trabalho que vocês desenvolvem, é muito difícil acreditar nisso, visto que nós, seres humanos “comuns”, não temos contato, nem nunca tivemos, com o sobrenatural. Como é Ele, Jesus Cristo? O que você sentiu na presença Dele?

R:“Ver” neste contexto significa ter o que chamamos de ter tido uma “visão”. Não é ver com nossos olhos naturais, é um ver no espírito, um sentir diferente. Não se vê detalhes, tipo; cor dos olhos, tipo de cabelo, a ênfase é para a pessoa. Você vê um homem. Ter uma “visão” significa que além de ver você também sente algo, projeta algo que sua mente não esta pensando naquele momento. Isso pode parecer abstrato para quem nunca provou deste sobrenatural, mas para quem crê na Bíblia como um livro inspirado por Deus, é natural. A Bíblia relata centenas de histórias deste sobrenatural: o mar que abre, mortos ressuscitam, enfermos são curados, cai comida dos céus, o maná, há visões, profecias, água que vira vinho, etc. O âmago é crer. Se crer verá a Glória de Deus!

27) Da mesma maneira, você diz, literalmente, com todas as palavras, que viu Lúcifer, ou Lúcifer, na sua frente, com seus olhos, durante certa cerimônia na Irmandade. Como é ele, o diabo “em pessoa”? O que você sentiu na presença dele?

R: No caso do satanismo, há materializações demoníacas em algumas cerimônias. Neste caso o ver é empírico, real, concreto. Pode-se tocar nestas entidades. São seres frios. Sente-se uma espécie de “energia”, há um campo a volta deles que irradiam uma forca negativa, sombria. Há maldade indescritível seus olhos, embora sua voz e atitudes pareçam complacentes. Não é uma experiência legal para relatar. Prefiro não recordar destas coisas. Passou, foi um pesadelo que acabou. Graças a Deus!

28) Você diz também ter ido ao inferno, como parte, digamos, avançada da sua iniciação na Irmandade. Como é o inferno? Qual a sensação de “estar lá”?

R: Uma palavra creio que resume tudo: angústia!

29) Entre a literatura da Batalha Espiritual encontra-se um pequeno livro que descreve quais os demônios que comandam as cidades e como eles atuam. É isso mesmo, ou seja estamos sendo observados bem de perto desde sempre?

R: Sim, São espíritos territoriais. Eles existem e “dominam” regiões especificas.

30) E os anjos, como eles atuam? Os não-evangelizados contam também com a proteção deles?

R: Todo aquele que crê em Jesus como seu único salvador e libertador é salvo. E Deus manda seus anjos acamparem ao redor destes. Para se ter uma idéia do que isso representa. A Bíblia relata o fato de que um anjo, apenas um anjo certa vez derrotou todo um exército de 185.000 homens. E estes anjos ficam a nossa volta, para nos guardar, vigiam nosso sono, protegem nossas vidas. Quantas vezes você não vai sair de casa para um compromisso importante e seu carro não pega. Você atrasa, ou tem que ir por um outro caminho, sem mesmo o perceber, ou perde um vôo, e depois sabe que foi livrado de um assalto, um acidente. Deus nos guarda. A Bíblia diz que tudo colabora para aqueles que amam a Deus. Este Deus é real! E ainda há tempo para ter um encontro com Ele!



Garçom vira dono do restaurante após profecia de Deus

Garçom vira dono do restaurante após profecia de Deus


Moisés de Brito (camisa branca) com PARTE da família em restaurante do qual é proprietário no Acre

"Promessa de Deus". É dessa forma que o acreano Moisés Melo de Brito, de 34 anos, explica a aquisição do mesmo estabelecimento em que trabalhou durante sete anos COMO garçom. Há 1 ano e cinco meses, o ex-garçom, que frequentou a escola até o 1º ano do ensino médio, está à frente de um restaurante e pizzaria no Centro de Rio Branco. Porém, a trajetória na área alimentícia é bem MAIS antiga, 19 anos no ramo.

Atendente, garçom, maître, gerente. Moisés trabalhou em vários setores de um restaurante. Ele conta que a sensação que tem ao olhar onde conseguiu chegar é vitória. "Eu sinto uma GRANDE vitória, apesar de tantas lutas, pelo fato de eu vir de uma família muito pobre", descreve.

Com a família proveniente da zona rural, Moisés mudou-se para a cidade somente aos 14 anos. E as bases familiares são claras no empresário. O que justifica-se pela GRANDEparticipação da família no empreendimento. Com ele, trabalham a esposa, a mãe e dois dos seis irmãos. "Meu segmento é levado para a minha família. Essa estrutura envolve mãe, irmãos, filhos e esposa", diz.

É o valor do trabalho que ele tenta ensinar para os dois filhos, Letícia Nunes, de 8 anos, e Joandreson Nunes de 14. As crianças participam do dia do restaurante e aprendem, aos poucos como gerenciar um negócio. Dessa forma, Moisés sonha com o futuro dos filhos.

"Lógico que eu não os utilizo como funcionários, mas uso minha empresa como escola para eles. E eu acredito que os dois serão futuros empresários da área de culinária, mas eles que têm que decidir o que querem da VIDA", sonha.

O espaço, bem localizado, foi comprado após a própria sugestão do antigo dono. Com o restaurante à venda, Moisés, ainda funcionário, começou a procurar possíveis compradores, quando o dono sugeriu que ele mesmo estudasse uma maneira adquirir o negócio. O ex-garçom teve, então, que se desfazer de alguns bens para conseguir a verba para dar a entrada no negócio. 

"Eu saí à procura, porque a gente que trabalha assim não tem recurso suficiente. Foi quando nos envolvemos com financiamento e vendi alguns bens, COMO minha moto. Vendi para poder dar entrada", lembra.

Moisés foi funcionário durante sete anos no mesmo local que atualmente é proprietário

Para ele, o segredo para uma empresa dar certo está na gestão. Por isso, para gerir bem o negócio, Moisés faz questão de fazer todo tipo de CURSO de capacitação, de informática à culinária, para treinar os funcionários novos e antigos. Ele conta que, dessa forma, participa de todo o funcionamento do restaurante. O que mostra sua paixão pelo que faz.

"A alma do sucesso é você fazer o que gosta e o segredo é participar do seu negócio 24 horas por dia, porque quando você participa, sabe onde está errando. Outro segredo é ouvir o que o cliente tem a dizer. É um dos fatores para nos darmos bem no mercado, que é muito competitivo", revela.

Futuro

Para o futuro, o empresário quer alçar voos maiores. Ele sonha com o restaurante e pizzaria sendo aberta em outros lugares do Brasil e até do exterior. "Isso é um início e eu não quero parar por aqui. Quero que o nome da empresa chegue em todos os lugares. Aparecem propostas tentadoras para expandir, mas existe uma estrutura para ser mantida. Por enquanto, quero fazer uma boa gestão do que já temos", diz.

Outro projeto que pretende colocar em prática é a noite de 'rodízio gospel'. A primeira tentativa não ocorreu do agrado de Moisés, mas a ideia é fazer uma noite voltada para o público evangélico, com música gospel ao VIVO e abertura para pregações. O empresário procura uma banda que possa se apresentar no local.

"Desde do início de 2013, esse projeto já EXISTE. Minha ideia era colocar uma banda e deixar um espaço aberto, para dar uma palavra, se expressar, mas não deu certo. Queremos uma banda para dar certo", explica.

A religião percorreu toda a história de sucesso de Moisés. Ele atribui a Deus todas as forças para o empreendimento caminhar. E o restaurante, foi a concretização de uma promessa de Deus.

"Acredito que uma das forças para eu ter o que tenho é Deus. Uma vez eu trabalhando, um PASTOR me disse que eu seria dono de onde eu trabalhava. E após um ano foi concretizado a profecia dele. Hoje, estamos aqui por promessa de Deus na minha vida", finaliza.




Fonte: G1
testemunhos,e libertaçao -os mórmons

testemunhos,e libertaçao -os mórmons

Casal de mórmons se liberta


CASAL DE MÓRMONS SALVO POR JESUS
Pr. João Flávio & Presb. Paulo Cristiano

Centro Apologético Cristão de Pesquisas - CACP

Eram duas horas da manhã, quando Dennis Higley, pertencente à sexta geração de Mórmons, estava se aproximando de uma descoberta que iria destruir suas ilusões de uma vida inteira.

Sua esposa, Rauni, havia-lhe dito que já não podia mais continuar como membro da Igreja Mórmon (Santos dos Últimos Dias = SUD) por causa das contradições e outros problemas que ela havia descoberto nos ensinos desta Igreja. Eles haviam praticamente deixado de se falar por causas das tensões. Foi quando Dennis finalmente concordou em adquirir todos os livros importantes sobre a doutrina e a história da Igreja, sentar-se com a esposa, e ler, dentro de todo o contexto, cada um dos ensinos problemáticos.

Finalmente, depois de muito exame, Dennis levantou-se, fechou abruptamente todos os livros e falou: "para mim, basta!".
- Foi naquela noite que a bolha do Mormonismo em que eu estivera encerrado explodiu... Aquela noite foi o início dos meus estudos profundos da história e doutrina dos mormons - itens dos quais a minha Igreja jamais havia me falado.

Aquele momento chave chegou em 1982. Desde então, apesar da perseguição devastadora que lhes custou o negócio, depois que eles deixaram a Igreja, o casal Higley tem sido usado por Deus apara ajudar a levar centenas de mormons à fé no Jesus Cristo da Bíblia. Eles trabalham como voluntários na Mission Service Corps (Exército Missionário de Serviço), junto com a Mission Board americana, que se dedica à evangelização entre fés. Trabalham sob os auspícios da HIS (He is Savior = Ele é o Salvador), nos subúrbios de Salt Lake City, onde eles estão compartilhando o Cristo do Cristianismo histórico com os que foram apanhados no labirinto do Mormonismo, auxiliando, também, os companheiros cristãos.

Rauni Higley converteu-se ao Mormonismo em sua terra natal, a Finlândia, em 1963. Ela era uma Luterana nominal e ficou impressionada com a amizade e o calor demonstrados pelos missionários e membros da Igreja Mórmon.
- Eu era completamente ignorante da Bíblia, não sabendo realmente quem é Deus e quem é Jesus. Então foi muito fácil para os Mórmons me convencerem de que estavam me trazendo a verdadeira mensagem bíblica.
Ela aceitou sua nova fé com um entusiasmo que não passou despercebido aos líderes mórmons. Em menos de uno ela foi chamada a servir numa "missão de 18 meses", em tempo integral, na SUD. Foi nesse tempo que ela conheceu Dennis, natural de Idaho, o qual também estava servindo na Finlândia.

As primeira indagações sobre a nova fé de Rauni apareceram durante a sua primeira visita ao templo da SUD, numa cidadezinha perto de Berna, Suíça. Foi lá que lhe apresentaram as ordenanças secretas exigidas no Mormonismo, desde a entrada até o mais alto nível celestial.
- Foi um choque. Na preparação para a experiência no templo dos Mormons era dito como seria bela e maravilhosa essa experiência, e como a gente vai atingindo um maior conhecimento de Deus...Bem, quando adentrei o templo, nada disso experimentei.

Pediram-lhe para despir toda a roupa, enquanto um "escudo" foi colocado sobre o seu corpo. Em seguida ela foi cerimonialmente "lavada e ungida" por um obreiro do templo. Foi-lhe dado um novo nome e uma roupa íntima que ela deveria usar 24 horas por dia, pelo resto da vida. Porém, mais alarmante ainda eram os apertos de mão secretos, acompanhados de imprecações secretas em forma de sinais, os quais incluíam um leve roçar do polegar sobre a garganta. Os sinais significavam como a vida pode ser tirada se os apertos de mão forem revelados a alguém fora do templo.
- Eu não conseguia imaginar como um Deus amoroso poderia manter um aperto de mão tão secreto, que se eu fosse contar a alguém seria morta da maneira mostrada no templo.

Mais tarde ela aprenderia que aquelas e outras cerimônias do templo eram idênticas às da Maçonaria e das religiões ocultistas.
Rauni também não entendia como as cerimônias realizadas naquele mesmo dia "por e em favor de" sua mãe e sua avó já falecidas poderiam ser idênticas àquelas feitas pelos vivos. Elas (as mortas), com efeito, estavam jurando que suas vidas seriam tiradas se revelassem os apertos de mão. Ambas também foram "lavadas e ungidas" através da substituição, para gozarem de boa saúde, terem filhos e povoar a terra. E Rauni, como sua substituta, tinha de hipotecar todas as suas possessões à Igreja SUD.

- Eu estava pensando: isto realmente não se aplica aos mortos, mas somente aos vivos. Mesmo assim mais de 90% do serviço diário no templo é feito pelos mortos.
Aos Mórmons não é permitido discutir as cerimônias fora do templo e não há como fazê-lo, enquanto as cerimônias são realizadas. Desse modo, Rauni não podia falar do assunto com os demais. Ela achava que com o passar do tempo iria encontrar as respostas às suas cruciantes indagações, mas essas respostas jamais chegaram. Depois de sua missão, Rauni se mudou para Salt Lake City, onde começou a trabalhar como tradutora para a SUD, posição que ela ocuparia durante 14 anos. Enquanto isso, Dennis regressou de sua missão na Finlândia e eventualmente ambos se casaram no templo da SUD.

Uma das tarefas de Rauni era traduzir as cerimônias do templo para o Finlandês, coisa que ela imaginava que fosse ajudá-la a compreender melhor as cerimônias.
Para uma tradução correta é importante que se conheça a significação exata de cada frase.
Mas, enquanto ela trabalhava no projeto, outro tradutor lhe contou que o próprio presidente da Igreja, quando indagado sobre as cerimônias da Igreja, havia admitido que nem tudo estava claro para ele.
- Porque você precisa entender em sua língua muito melhor do que o fazemos no Inglês?
Outras dúvidas que surgiram mereceram respostas idênticas dos líderes da Igreja SUD. Eles sempre respondiam:
- Traduza como está!

Mas Rauni achava que "aí é que estava o problema, pois as palavras tinham de fazer sentido. Se não faziam, o que estavam ensinando?"
Foram tempos de muita frustração. Mais tarde outras dúvidas foram surgindo, quanto às referências históricas, a fim de assegurar exatidão na tradução.
- Isso me abriu os olhos para o fato de que o Mormonismo evoluíra e fora bem diferente no passado, e isso me fez começar a ler mais e mais material do que a média disponível aos membros. E além de outras coisas descobri:

" Contradições alarmantes com referência aos acontecimentos primordiais na vida de Joseph Smith, antes dele fundar a Igreja SUD, em 1830.
" Fatos históricos e arqueológicos, os quais questionavam a veracidade do Livro de Mórmon.
" Profecias não cumpridas, as quais, conforme Deuteronômio 18:20-22, significavam que Joseph Smith não passava de um falso profeta.
" Contradições entre os ensinos atuais da SUD, os antigos escritos da Igreja e as próprias escrituras mórmons.

Com o passar dos anos em que Rauni continuou satisfazendo as expectativas dos membros da SUD, ela e Dennis cresceram juntos em posições de liderança dentro da Igreja. Dennis eventualmente fora nomeado para um lugar no Alto Concelho da Estaca, em que junto com a Presidência das Estacas, tinha autoridade sobre cerca de 6 a 8 igrejas "custódias" (Wards).

Enquanto isso, Rauni continuava a descobrir mais coisas. Em 1982 ela finalmente disse ao marido que não podia mais participar da SUD. A princípio Dennis ficou furioso, lançando-lhe apenas um olhar de repreensão. E lhe respondeu: "Ainda não sabemos o suficiente a esse respeito. Dê outra desculpa". Ele simplesmente deixou as coisas em banho-maria, enquanto Rauni insistia em lhe apresentar as contradições e diferenças, a ponto de deixarem de falar um com o outro.
Ao bispo da igreja local Dennis pediu que falasse com ela, mas ele também ignorava quase tudo.

- Você sabe como é. Seu marido tem estado no Concelho durante anos, e quando se faz o trabalho da Igreja e nele se está ativo, não se tem tempo de estudar o passado.
Rauni disse que esse era exatamente o caso. Ela falou: "Posso ver que a razão da membresia estar sempre ocupada é para que não tenha tempo de descobrir coisas. Se temos qualquer momento livre logo nos mandam para o templo, a fim de trabalhar pelos mortos".

Foi então que Dennis encontrou tempo para reunir o material e conferir as informações por si mesmo. Quando se convenceu de que a SUD estava em grave erro, sua primeira reação foi de ódio.
- Eu não queria ter mais nada com a religião organizada. Achei que havia sido vítima de uma brincadeira de mau gosto, e que em algum lugar alguém deveria estar rindo às minhas custas, durante os 40 anos em que fora um mórmon fiel e ativo.

Mas ele estava determinado a encontrar a verdade. Eventualmente, através do seu próprio estudo e de uma série de fitas de estudos bíblicos, ele e Rauni aceitaram o Jesus Cristo da Bíblia e do Cristianismo histórico.
E maio de 1983, após Dennis ter pesquisado durante um ano, ele e a esposa enviaram uma carta à Igreja SUD, solicitando remoção dos seus nomes da membresia. Porém, quando seus nomes foram lidos num encontro dos sacerdotes, como tendo sido excomungados, sem razão alguma começaram a circular rumores sobre possíveis pecados graves por eles cometidos.
Os Higleys acharam que a melhor aproximação seria escrever uma carta aos parentes e amigos da SUD, explicando a razão de haverem saído. Na carta afirmavam que se estivessem errados em tudo o que haviam descoberto, de bom grado aceitariam a correção. Não houve resposta.

A carta e sua saída causaram tais transtornos à liderança local da Igreja, que o negócio de varejo dos Higleys foi boicotado. Finalmente eles se viram forçados a se mudar para um subúrbio de Salt Lake City, porém não antes que o seu testemunho desencadeasse um avivamento.
Filiaram-se à Primeira Igreja Batista de Vernal, Utah, uma pequena congregação de apenas 70 membros, que acabara de admitir um novo pastor, com uma nova visão de como alcançar a comunidade. A combinação guiada pelo movimento soberano de Deus resultou nos membros da igreja se mobilizando e conseguindo levar 450 membros mórmons ao Cristo da Bíblia, em apenas 5 anos.

Por causa de sua dramática história, os Higleys eram solicitados a falar a grupos cristãos e também adaptaram um curso sobre Mormonismo, o qual haviam antes ensinado em Vernal, num seminário para fins de semana. A carta original que eles haviam remetido aos amigos e parentes da SUD foi transformada num folheto dirigido aos Mórmons e logo se tornou disponível num "site" da Internet (www exmormon.org.whylft.htm).
Os HIgleys responderam cerca de 2.000 cartas diárias via E-Mail, no último ano, e sempre passavam horas no telefone conversando com altercadores ou ex-mórmons. Para pagar essas contas Dennis foi trabalhar numa firma de reformas de construção e Rauni se tornou corretora de imóveis em Salt Lake City.

Sair do Mormonismo é muito difícil, disse Dennis, porque há muitos estágios que precisam ser sobrepujados. Com indivíduos como ele próprio, que jamais havia conhecido coisa alguma além do Mormonismo, é particularmente difícil. O hectavô de Dennis havia se filiado à Igreja por ocasião de sua fundação, em 1830.

- Quando você é doutrinado desde criança a crer que esta é a única igreja verdadeira, crendo ser esta a vontade de Deus para a sua vida, é quase impossível questionar qualquer coisa. Mesmo porque jamais pode entrar em sua cabeça que ela possa estar errada.
Depois de se convencer de que o Mormonismo é falso, as pessoas ainda têm de provar que a Bíblia é verdadeira. Aos mormons é ensinado que a Bíblia não é um livro confiável. Eles trabalham para distratar a Palavra de Deus. Então, o passo mais difícil é fazer acreditar que a Bíblia é realmente confiável, que ela é a Palavra de Deus e que existe um relacionamento compensador com Cristo que eles podem experimentar. Mas esse é um processo muito longo.

Nos seminários cristãos os Higleys têm dado uma visão geral sobre as crenças mormons, esclarecendo as significações diferentes que os mormons assumem em relação aos termos do Cristianismo. Eles oferecem um pano de fundo básico sobre aquilo em que os Mórmons crêem:
"Que eles têm um Deus diferente, um Jesus diferente, um Espírito Santo diferente e um plano de salvação diferente. Estes são os tópicos fundamentais que os Cristãos devem conhecer":
Rauni afirma que as pessoas testemunham aos mormons, porém não esclarecem as diferenças. "Se você chega a um Mórmon e lhe fala de Jesus Cristo, ele na certa vai dizer: eu creio em Jesus Cristo, também sou cristão".

Porém o Jesus dos mormons é um dos bilhões de filhos espirituais de Deus, não o Deus Todo Poderoso que se encarnou. Ele não é um Jesus que sempre existiu como Deus, porém é um ser criado, que evoluiu até chegar à divindade.
Quando se fala com os mormons a melhor maneira de aproximação é pedir-lhes simplesmente para explicar o conceito de Deus e de Jesus. Então as diferenças podem ser mostradas na Bíblia e o Mórmon poderá decidir se vai crer na SUD ou na Bíblia.
No que diz respeito à sua própria caminhada cristã, Dennis afirma que os Cristãos sempre lamentam sobre o preço que ele e Rauni têm pago pela sua fé, mas que eles desejam simplesmente celebrar junto com os irmãos. E acrescenta: "Sei que pagamos um alto preço aos olhos do mundo, mas obtivemos o prêmio através de Jesus Cristo"!